Cultura

Espetáculo Spanda mostra a desconexão
 das relações na atualidade

Os atores, apesar de estarem juntos em cena, pouco interagem; 
espetáculo integra teatro, dança, performance, vídeo e música

 Figura 1 Cena do espetáculo Spanda, Na foto Márcia Ylana e Josafá Filho - Foto de Julio Leão


“Existe um novo tipo de amor que nasce com a geração de hoje. Ninguém hoje em dia está com alguém por alguma razão”. Jorge Forbes


Um ambiente monocromático. Sobre os pallets do cenário, cilindros acinzentados. Projeções ampliam o vazio. Uma mulher dança. Um homem dança. Pouco se olham. Em áudios em off, alguém fala por eles. Estão perto, mas não estão juntos. Assim tem início o espetáculoSpanda, com estreia marcada para o dia 20 de setembro de 2016, às 20h30, no Superloft (Rua Cardeal Arcoverde, 2926, Pinheiros), com direção de Roberto Áudio e Josafá Filho, que divide a cena com a atriz e bailarina Márcia Ylana.

A partir da pesquisa realizada nos textos e conceitos do psicanalista paulista Jorge Forbes sobre os “monólogos articulados”, Josafá Filho e Roberto Áudio criaram Spanda, um espetáculo que integra teatro, dança, performance, vídeo e música, possibilitando uma reflexão sobre o modo como acontecem as relações nos tempos atuais.

Em seus textos acadêmicos, Forbes explica que os jovens criaram, com as raves e a música eletrônica, o que ele chama de monólogos articulados – uma forma de ficar junto sem se compreender: “a ‘Techno Parade’ aglomera dois milhões e meio, três milhões de participantes, dançando juntos, sem se entenderem, sem cantarem um jargão comum, sem um barquinho que vai e vem, sem se perguntarem se você quer ser minha namorada, oh que linda namorada você poderia ser. Não dá para dizer que se trata de três milhões de autistas, claro que não. Possivelmente esses moços demonstram a possibilidade de estar junto sem se compreender (...) É impossível explicar porque se está com alguém; hoje os casais ficam juntos apesar de e não por causa de”. Completa o psicanalista: ”’Monólogos articulados’, portanto, tomam o lugar dos diálogos compreensíveis em nossa época (...) Não façamos como a maior parte dos amantes da bossa nova que nessa música [eletrônica] só escutam um bate-estaca insuportável; lembremos do exemplo de Fleming que viu a penicilina onde outros só viam bolor”.

No espetáculo criado a partir desse recorte contemporâneo, em um ambiente hiperconectado, com cenários virtuais e objetos acumulados pelo espaço,  estão em cena um homem e uma mulher. Em três curtos atos –  Planície, Floresta e Oceano – ambos participam de um jogo corporal que envolve o desejo de se comunicarem e os medos e dificuldades encontrados para estabelecerem um encontro genuíno. Uma jornada em busca de uma relação mais real, tátil e sensorial.

A partir de improvisações corporais, matrizes especificas de movimento vão sendo propostas como dispositivos para a dança dos performers. Com a fusão entre música eletrônica e orgânica que serão executadas ao vivo por um DJ, o espetáculo possibilita uma reflexão sobre o modo como acontecem as relações, frente a pulverização dos padrões e os excessos da comunicação em uma sociedade de rede.

SINOPSE
Em cena, um homem e uma mulher dançam, dizem textos desconexos, se desencontram. Uma busca por alguma compreensão possível. Um jogo que envolve o desejo de se comunicarem, e os medos de viverem em um novo mundo cada vez mais desbussolado, que os desafia a reverem suas velhas fórmulas em busca de uma nova conexão, real e genuína.

JOSAFÁ FILHO
Indicado como ATOR REVELAÇÃO pelo Prêmio JORNAL EXTRA, e ATOR COADJUVANTE pelo Prêmio REVISTA QUEM 2013,  por seu personagem Filipinho (Famosinho da Casa Verde) na novela da TV Globo, Sangue Bom, Josafá Filho, já participou de vários grupos de teatro e de dança: atuou por quatro anos na Companhia Pia Fraus; ministrou oficinas de Teatro Físico em projetos como Caravana Funarte, Edital Miriam Muniz e SESI. Entre os outros festivais, participou do Spetaculo Interesse, em Ostrava (República Tcheca), Festival de Almargo (Espanha), Porto Alegre em Cena, Festival de Teatro de Bonecos de Curitiba. Josafá trabalhou ainda como assistente de direção na companhia do Outro Milênio e dirigiu e atuou na Histriônica Companhia de Teatro Musical e Variedades, Artimanha Teatro-Empresa, Sete Teatro e Companhia Escambau. Como bailarino e performer, tem passagens pelas companhias Artista do Corpo, Omstrab, Núcleo de Improvisação Zélia Monteiro e Marcos Sobrinho Grupo de Dança e Performance. 

Em 2013, fundou sua própria companhia DEVAS – núcleo performático que integra música eletrônica, poesia, novas mídias, dança e teatro, e com mais dois sócios integra sua própria produtora, Clareia produtora, desde então, produzindo projetos na área cultura, comunicação e responsabilidade social. Agora em 2016 assina a assistência de direção do espetáculo MOTEL RASHÔMON, contemplado pelo prêmio Proac Edital, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e estreia SPANDA, o primeiro espetáculo cênico de sua companhia, em setembro.

MÁRCIA YLANA - PERFORMANCER
Bailarina paulistana iniciou os seus estudos com dança aos três anos de idade com a maître Toshie Kobayashi. Formou-se nas escolas de Ballet: “Toshie Kobayashi” e “Fundação Das Artes De São Caetano Do Sul” onde teve como principais mestres: Valéria Mattos, Caren Polido, Morisa Garbelotto, Toshie Kobayashi, Neide Rossi, Boris Strojkov, Eduardo Bonnis, Ilara Lopes, Beth Bastos, Guivalde de Almeida dentre outros. Formada também em dança contemporânea e moderna pela escola de Artes da “Fundação Das Artes S.C.S.” onde cursou teatro estudou com: Sandro Borelli, Renata Mello, Mariana Muniz, Lú Favoretto, Jhean Allex, Daniela Rocco, Alessandra Fioravantti e Paula Sanchez.   Atuando no grupo de dança da escola da Fundação das Artes de São Caetano do Sul durante o período de quatro anos (2005 a 2009) representou a escola em diversas mostras artísticas e festivais de dança pelo país. Integrou diversos trabalhos artísticos com grupos experimentais como coreógrafa e criadora/interprete, também participando de processos artísticos e estagiando em Companhias profissionais como Staccato, Borelli Cia de Dança e a Cia Mariana Muniz de Teatro e Dança. Trabalhou como assistente de ensaio de palco do diretor Nelsinho Motta no SBT ensaiando e orientando os grupos que se apresentavam no programa Domingo Legal. Foi responsável na preparação de coreografias em grupos experimentais para Eventos Culturais do Projeto de Ação Cultural de São Paulo – PROAC no ano 2009 dentre eles o Musical Cantarolágua Protegendo o Tesouro Transparente do grupo Fazendo Artes. Formada em Licenciatura e Bacharelado em Dança pela Universidade Anhembi Morumbi (2012), atualmente atua como consultora e ensaiadora de grupos independentes de dança em São Paulo. Integrante e performer do Grupo DEVAS núcleo performático desde 2011, é professora de dança da Rede Objetivo de Ensino desde 2009, e de outras escolas da rede privada.

DEVAS - NÚCLEO PERFORMÁTICO
Criado em 2012 pelo performer e produtor Josafá Filho, é integrado por artistas egressos dos cursos superiores de Dança, Música Brasileira, Música eletrônica e Rádio e TV da Universidade Anhembi Morumbi. De lá para cá, com base na performance e dança contemporânea, tem investigado o diálogo entre diferentes fazeres artísticos para a elaboração de um processo e estética de trabalho próprios. É um núcleo de pesquisa e criação em artes integradas que abarca em seu repertório diferentes plataformas artísticas, como: performances, exposições fotográficas, obras musicais e outros territórios que surgem de forma viva no processo criativo do núcleo. Em 2014, após a aprovação pela Lei Rouanet em parceria com a produtora CLAREIA, partiu para a criação de seu primeiro espetáculo cênico,Spanda, com base nos conceitos do psicanalista brasileiro Jorge Forbes. Uma busca por novos aprendizados, sentidos e conexões.

FICHA TÉCNICA
Direção: Roberto Áudio e Josafá Filho | Idealização: Josafá Filho | Argumento: Carlos Dalla e Josafá Filho | Iluminação: Paulo Maeda | Trilha: Jovem Palerosi | Músicos convidados: Carlos Dalla e Júlio Dreads | Consultoria musical: Carlos Dalla | Figurinos: Caroline Franco | Cenário: Josafá Filho | Dramaturgia corporal: Márcia Ylana e Josafá Filho | Projeto visual: Mulisha Estúdio criativo e Júlio Leão | Vídeos: Bruta Flor Filmes | Assessoria de imprensa: Canal Aberto | Produção: Clareia Produtora e Devas – Núcleo performático.


SERVIÇO:
De 20 de setembro a 13 de outubro de 2016
Às terças e quintas, às 20h30
Superloft
R. Cardeal Arcoverde, 2926 – Pinheiros
Capacidade: 70 lugares
Duração: 50 min/ Recomendação: Livre
Ingressos:
Ø  Na bilheteria local, 1h antes do espetáculo: INTEIRA R$25,00/ MEIA R$12,50
Ø  Vendas antecipadas, com desconto: eventicket.com.br > INTEIRA R$20,00/ MEIA R$10,00
Reservas, contato e informações: devasnucleo@gmail.com
Realização: Clareia Produtora e Devas Núcleo performático.

Fonte: Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820