Saúde Ocular

Acidente ocular é a principal causa de cegueira
 em um dos olhos no Brasil


No dia 27 de julho é comemorado o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. Dentre os acidentes oculares de trabalho, 6% causam problemas irreversíveis. No Brasil, o acidente ocular é a principal causa de cegueira em um dos olhos. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia estima que os acidentes ocupacionais oculares correspondam a 150 mil casos por ano, com maior frequência entre homens na faixa etária de 20 a 40 anos, quando se está no auge da produtividade. Como este órgão é muito sensível, uma contusão ou descuido pode ter desfechos dramáticos. Apesar dos grandes avanços da medicina na área oftalmológica, os danos nem sempre são reversíveis.

O oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugenio, explica que muitos acidentes oculares ocorrem por desrespeito às normas e leis de segurança de empresas ou uso inadequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Existem profissões que exigem o uso de EPIs, como, por exemplo, os óculos de proteção, e concentração do funcionário para evitar danos à visão. Quando estes dois fatores são subestimados, os riscos de lesões são altos”, diz o especialista, apontando que a inaptidão para o trabalho causada pelo comprometimento da visão é, em média, de 15 semanas, quando não permanente, contra cinco para as que afetam outras partes do corpo.

Cerca de 60% da população brasileira entre 18 a 40 anos precisam de lentes corretivas devido a algum tipo de desvio de refração (miopia, astigmatismo, hipermetropia). Muitas vezes, o acidente de trabalho acontece porque a pessoa não quer usar óculos de grau ou lentes ou está usando lentes com grau defasado e, consequentemente, não enxerga direito.

Curiosamente, os ferimentos mais comuns nos olhos não são decorrentes das profissões mais arriscadas que exigem o uso de óculos de proteção e máscaras. São os causados por produtos utilizados na limpeza doméstica, objetos pontiagudos ou estilhaços. A água sanitária e os produtos de limpeza são os grandes vilões. “Um respingo no globo ocular é suficiente para danificar a visão”, afirma Hilton Medeiros, alertando que grande parte dos acidentes poderiam ser evitados caso os adultos fossem mais cuidadosos ao manusear as substâncias.

Queimaduras provocadas por substâncias químicas são tão perigosas quanto aquelas causadas por fontes térmicas. O produto químico precisa ser removido rapidamente, caso contrário continua penetrando nos olhos, gerando reações inflamatórias, podendo perfurar os tecidos oculares.  

Colisões contra os olhos também são freqüentes e podem gerar desde um simples arranhão na córnea, um descolamento de retina, até o desencadeamento de uma catarata precoce ou glaucoma. “Nos casos mais graves, em que a contusão pode desenvolver uma catarata precoce ou até o descolamento de retina, tem de ser feita cirurgia para evitar a morte da retina e, consequentemente, a perda da visão”, explica o especialista. O mesmo procedimento deve ser adotado no caso de objetos perfurantes. “Objetos que chegam a perfurar e se instalar na estrutura ocular podem levar a perda total da visão em questão de dias”, completa.

Há outras situações em que os pacientes apresentam quadro de hemorragia, mas melhoram em até três dias. E nos casos mais simples, onde há apenas um arranhão no epitélio - fina camada de pele que envolve a córnea -, o paciente pode apresentar o quadro de dor e embaçamento da visão, e se recuperar em até dois dias.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, a cada ano, entre 1,5 milhão e 2 milhões de pessoas ficam cegas no mundo em consequência de danos causados por traumas oculares.

Fonte: Suprema Comunicação Integrada

Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820