Bichectomia – estética facial

Saiba mais sobre este procedimento que promete afinar o rosto
  


Por Prof. Dr. Marcelo Fardin - CRO: 49423
Mestre em Cirurgia de Cabeça e Pescoço;
Cirurgião e Traumatologista Buco Maxilo Facial;
e Estomatologista.

Assimetria facial e rosto mais harmonioso são alguns dos motivos que levam homens e mulheres em busca da Bichectomia, um procedimento estético que retira a gordura das bochechas entre o maxilar e a mandíbula, conhecidas como “bolas de Bichat”, e deixa a área com maior curvatura e até aparência mais jovial.

Este procedimento, como já dito, tem a finalidade puramente estética e tem como finalidade afinar o rosto. Pode ser feito pelo Buco Maxilo Facial, especialista que cuida de várias patologias da região da cabeça, pescoço e rosto. Porém, esta cirurgia não é indicada para todo mundo, pois a bola de gordura de Bichat é importante para a musculatura do rosto e, também, para a mastigação. Portanto, é importante que o procedimento seja feito por especialistas que avaliam casa a caso e prescrevam o procedimento com segurança para seus pacientes.



Quem pode fazer:
Como qualquer outro procedimento cirúrgico, o paciente deve estar com a saúde em bom estado, não possuir patologias anteriores que impeçam a sua realização como, por exemplo, infecções, doenças pré-existentes, problemas cardíacos, hipertensão, diabetes, entre outras. A avaliação do especialista é necessária e importante para garantir a segurança e resultado satisfatório.

Como é realizada:
A realização da bichectomia é feita intraoral, com um corte dentro da boca, ao qual permite melhor cicatrização nas mucosas bucais e não deixa marcas aparentes, e é usado anestesia geral, local ou sedação. Após, são retiradas parcialmente as bolsas de gordura, pois a remoção total não é recomendada, para a harmonização e contorno facial. Tem duração em médica de uma hora a uma hora e meia. Veja ilustração abaixo:


A importância de fazer com um especialista:
O especialista, após a avaliação clínica do paciente, pode solicitar exames pré-operatórios para complementar e, após, indicar ou não o procedimento. Outro dado importante refere-se ao fato das bolas de Bichat ficarem próximas de duas ramificações do nervo do trigêmeo, que controla as sensações que se expandem na face e abrangem o ramo maxilar (maxilar superior) e o ramo mandibular (maxilar inferior). Por isso, se não for feita com segurança, por especialistas, pode causar paralisia facial e até possíveis infecções.

Recomendações finais:
Para qualquer procedimento, seja estético ou funcional, é importante que o paciente procure profissionais qualificados e experientes nos procedimentos, o que lhe garantirá resultados satisfatórios, dentro da realidade, e ainda segurança antes, durante e após as cirurgias. Se você quiser saber mais, receber uma avaliação correta e ou mesmo tirar dúvidas, agende uma consulta na Clínica Fardin, com nossos especialistas.


Sobre Marcelo Fardin: é Mestre em Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Cirurgião e Traumatologista Buco Maxilo Facial; e Estomatologista. Opera nos mais renomados hospitais de São Paulo e do Brasil. Atende no seu consultório particular em dois endereços: Rua Voluntários da Pátria, 2128, sala 11, Santana – SP - 11-2283-3865 / 11-2959-3554 / e Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 - Conj. 508, Itaim – SP - 11-3459-4135 / 11-3459-4136.  



         Texto:  Prof. Dr. Marcelo Fardin - CRO: 49423
Mestre em Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Cirurgião e Traumatologista Buco Maxilo Facial; e Estomatologista.
Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326
 Facebook e Instagram: @doutormarcelofardin

Clínica Fardin – www.clinicafardin.com.br
Rua Voluntários da Pátria, 2128 – Sala 11 – Santana – SP
 Fones: 11-2283-3865 / 11-2959-3554
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 - Conj. 508 - Itaim – SP –
Fones: 11-3459-4135 / 11-3459-4136

Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves - MTB 48326
11-4113-6820 / 11-98092-6021
carinacgoncalves@gmail.com


.
Clínica Fardin, seu tratamento começa aqui!
Dr. Marcelo Fardin – Buco Maxilo Facial - www.clinicafardin.com.br
Rua Voluntários da Pátria, 2128 – Sala 11 – Santana – SP
Fones: 11-2283-3865 / 11-2959-3554
Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 - Conj. 508 - Itaim - SP
Fones: 11-3459-4135 / 11-3459-4136
.
#drmarcelofardin
#extracaodentesdosiso
#clinicafardinseutratamentocomeçaaqui
#ortognatica
#cirurgiaortognatica
#bucomaxilozonanorte
#bucomaxilozonasul
#bucomaxilo
#sorrisoperfeito
#cirurgiatraumasfaciaisterceiraidade
#saúdenaterceiraidade
#traumasfaciais
#cuidadoscomsaúde
#informaçãobucomaxilofacial


Leia Mais ►


Quando o bebê chora demais, o que fazer?!

Muitas crianças apresentam choro repetitivo, sem dores aparente,
 e com isso os pais ficam sem saber o que fazer.



Por Dra. Kelly C. O. Fardin
 Pediatra e Puericultura - CRM:113845

O choro é algo que simboliza quando algo está de errado nas crianças – seja dor, fome ou sono. No entanto, alguns bebês, por algum motivo, tendem a exagerar um pouco neste “quesito”, o que deixa os pais de cabelo em pé, sem falar na exaustão física e emocional. No texto de hoje vou falar sobre “quando o bebê chora demais, o que fazer?!”.

Atendimentos:

Durante os três primeiros meses de vida dos bebês, é comum os pais procurarem o pediatra com certa frequência, por diversos motivos, mas cerca de 20% das consultas estão relacionadas com o choro excessivo e muitos atendimentos ocorrem dentro do pronto socorro pediátrico e ou no consultório. A pediatra por sua vez, com sua experiência, será capaz de identificar as possíveis causas que provocam o choro como, por exemplo, os estímulos externos, a fome, o sono ou dor, e a partir das possibilidades, poderá indicar a melhor conduta aos pais – exames, medicamentos paliativos e ou mesmo tratamentos para minimizar dores e sintomas no caso de identificação de doenças e outras enfermidades.

Como e quando saber que o choro é sinal de algo errado?

Sabemos que o choro faz parte da infância e não é só para caracterizar o que há de errado. As crianças menores de um ano, por exemplo, por instinto, recorrem ao choro para representar quando sentem fome, dor, frio, calor, cansaço e até mesmo para chamar a atenção dos pais para receber afeto. As maiores, acima de dois anos, já sabem (como se fosse por osmose) que o choro é uma ferramenta de negociação para conquistar o que desejam.

Para entender melhor, podemos classificar o choro em três categorias, sendo a primeira como causa normal/fisiológico, que faz parte da infância e pode ocorrer em diversas situações como frio, fome, dor, etc. A segunda causa é chamada de excessiva, quando está associada à um desconforto maior ou relacionado com alguma doença. Já a terceira causa, pode ser recorrente e estar relacionada cólicas, comuns em recém nascidos e com duração em média de três meses. No entanto, a avaliação do pediatra é necessária em quaisquer situações de choro, em especial, para os bebês e crianças menores de 5 anos.

O que fazer?

É importante ressaltar que, no auge do desespero dos pais, muitos acabam (por efeito mecânico) automedicando as crianças com analgésicos, sedativos e antigases para minimizar as causas do choro, o que caracteriza riscos para a saúde delas, pois o choro, como já dito, é oriundo de motivos reais e precisa ser identificado.

Dentro da literatura médica, algumas pesquisas informam o índice de choro por hora e idade dos bebê: lactantes de duas semanas chegam a desenvolver choro por cerca de 1h e 45 minutos; crianças com seis semanas podem chorar por cerca de 2h e 45 minutos; com 12 semanas esse quadro diminui para episódios de até uma hora. Como se fosse de praxe, as crises de choro sempre ocorrem no final do dia e no decorrer da noite, com maior incidência entre os três e seis primeiros meses de vida dos bebês, também conhecidos como período da insônia dos pais. Calma, isso passa e sobrevivemos a cada noite ou dia mal dormido. É apenas uma fase e ela não dura muito, mesmo que pareça interminável.


Saiba quais são os motivos mais comuns que desenvolvem choro:

- Cólicas: acontece sem motivo aparente e em bebês saudáveis, com ganho de peso normal;
- Infecções: infecção urinária, otite média e meningite;
- Gastrointestinais: refluxo, constipação, intolerância a lactose ou alergia ao leite de vaca;
- Comportamental/ Interacional: estimulação excessiva, falta de rotina, distúrbio do vínculo afetivo;
- Reações a drogas: reações a vacinas, as drogas que foram usadas na gestação (narcóticos);
- Violência/ abuso: fraturas de ossos longos, hemorragia ocular e hemorragia intracraniana;
- Hematológico: crise hemolítica – anemia falciforme;
- Cardiovascular: taquiarritmia, insuficiência cardíaca congestiva.


Recomendações finais:

Sabemos do desespero que dá ao ver nossos filhos chorando e, ainda mais, quando não há motivos aparentes como machucados, doenças e ou mesmo identificação da dor. O mais importante, antes de sair correndo de casa, é manter a calma e tentar identificar os reais motivos que causam as crises de choro. Feito isso, tente falar com a pediatra da criança e, a partir disso, siga as recomendações da médica: levar ao pronto atendimento, aguardar o atendimento no consultório, medicar, etc.

No entanto, quando os pais perceberem sintomas crônicos como vômito, diarreia, febre e prostração da criança (quando não está em suas condições normais de atividades e de alimentação), procure imediatamente o atendimento. Vale, ainda dizer, que toda criança chora, usa este recurso como forma de se comunicar e com o passar dos dias, meses e até anos, tende a diminuir. Independente da fase, quando ocorrer episódios de choro, mantenha a calma e tente acalmar a criança também para que seja possível identificar os motivos e buscar soluções possíveis.


Sobre a dra. Kelly C. O. Fardin – CRM: 113845: é pediatra e puericultura, com pós-graduação em Nutrição Materno Infantil, Consultora do Sono Infantil e Instrutora de Shantala. Atuou como médica pediatra e de emergência nos principais e mais renomados hospitais de São Paulo. Atualmente atende em consultório particular na Rua Voluntários da Pátria, 2128 – Sala 11 – Santana – SP – Fones: 11-2283-3865 / 11-2959-3554 / 11-98303-5786.  Facebook: @levepediatria / Instagram: Dra.Kelly_levepediatria

Serviço:
Dra. Kelly C. O. Fardin
 Pediatra e Puericultura - CRM:113845
Facebook: @levepediatria / Instagram: Dra.Kelly_levepediatria
Consultório: Rua Voluntários da Pátria, 2128 – Sala 11 – Santana – SP
 Fones: 11-2283-3865 / 11-2959-3554 
Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326



Leia Mais ►

Cigarro x fumo passivo para as crianças
Infelizmente este hábito é mais comum do que se imagina


Por Dra. Fernanda Bombarda – CRM: 95033
 Pneumologia Infantil

Muitos adultos que fumam não entendem o mal que fazem ao acender um cigarro no mesmo ambiente que uma criança. Estou falando do fumo passivo, que afeta milhares de famílias e compromete a saúde de todos, pois pode ser, inclusive, até mais prejudicial para a saúde por não ter filtro como o cigarro comum.  No texto de hoje vou falar sobre este tema, tão importante de ser discutido e conscientizado.

Entenda melhor:
            O cigarro é potencialmente cancerígeno, pois concentra mais de 4,7 mil substâncias tóxicas e o alcatrão, por exemplo, é uma das mais cancerígenas na composição, além do monóxido de carbono que agrava a oxigenação no sangue e obstrui os vasos sanguíneos. Os malefícios do cigarro perduram por muito tempo mesmo depois de apagado, pois as substâncias nocivas do tabagismo são expelidas pela pele e respiração, sem relacionar a contaminação do cabelo e roupas.

Crianças x doenças respiratórias decorrentes do cigarro
Crianças e cigarro não combinam em nenhuma situação, ainda mais para àquelas que já possuem algum histórico de doença respiratória, o que as tornam mais sensíveis e potencialmente candidatas à complicações. Segundo o Ministério da Saúde, o fumo passivo eleva em 30% as chances de câncer de pulmão e 24% o risco de infarto e pode ser letal para as crianças.

Saúde x cigarro:
Os riscos para a saúde são imensos para quem convive com fumantes e para àqueles que são “vítimas” do fumo passivo. Entre as doenças crônicas passiveis do fumo e do convívio com as substâncias cancerígenas estão o desenvolvimento de asma, bronquite e pneumonia.  As crianças que são “obrigadas” a viver em meio aos fumantes podem apresentar dores de cabeça, náuseas, irritação ocular, sinusite crônica, falta de ar e tosse, além de falta de concentração, irritação e dificuldade no aprendizado.  

Riscos:
Mulheres grávidas que fumam podem ter a gestação interrompida (aborto) por conta dos agentes tóxicos do cigarro e ou desenvolverem gestação de risco com desenvolvimento do embrião abaixo do peso, fora do útero e com retardo mental. Durante a amamentação os riscos continuam e a síndrome da morte súbita se torna real pelo repasse da nicotina e das toxinas através do leite materno. A fumaça do cigarro se torna três vezes mais agressiva do que o cigarro comum, que possui filtro para o fumante.

Recomendações:
Sei que o vício do cigarro é um dos mais difíceis de se libertar, mas, pense antes de acender um na presença das crianças, que não merecem este mal e tão pouco podem se defender deste mal. Além de deixar a pessoa fedida, o cigarro deixa os cabelos ressecados e a pele amarela, sem falar no efeito negativo para a recuperação de doenças e corta-efeito de medicações. 



Texto: dra. Fernanda Bombarda – CRM: 95033 – Pneumologia Infantil
Consultório: Av. Nova Cantareira, 291, sala 84 – 8ª andar – Tucuruvi – SP
Facebook: dra.fernanda.bombarda.pneumologia.infantil
Instagram: @drafernandabombarda
11-2631-6679 - drafernandabombardapneumo@gmail.com
Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves - MTB 48326
contato@jcgcomunicacao.com.br  - 11-4113-6820 / 11-98092-6021
Leia Mais ►

Acupuntura para a cura da depressão




Pessoas que sofrem deste problema podem trocar os remédios 
por solução alternativa e evitar os efeitos colaterais




A Acupuntura é um conjunto de práticas terapêuticas baseadas na Medicina Tradicional Chinesa, que consiste, principalmente, na inserção de agulhas para a estimulação de regiões anatômicas sobre a pele, chamados de Pontos de Acupuntura. De acordo com a medicina ocidental, é um método que estimula a liberação de substâncias químicas, que atuam sobre o sistema nervoso, promovendo o equilíbrio do organismo.

Atualmente, a técnica da acupuntura busca ajudar os canais energéticos do corpo (meridianos), de acordo com o equilíbrio de Yin e Yang e, consequentemente, a normalização de funções alteradas, reforço do sistema imunológico e controle da dor. Ela pode ser utilizada em vários tratamentos, podendo obter diferentes tipos de resultados. De acordo com a fisioterapeuta, especialista em estética, Gabriela Laubé, a acupuntura pode aliviar muitos problemas, dentre eles a depressão.

A depressão é uma disfunção que faz parte dos chamados transtornos afetivos e do humor, atingindo 16% da população mundial. As pessoas que sofrem deste problema, podem contar com o auxílio de remédios ou até mesmo com terapias alternativas, como a acupuntura. “A inserção de agulhas provoca uma série de reações que liberam neurotransmissores, como serotobina e dopamina, que geram sensação de prazer e bem-estar, tendo o mesmo efeito de alguns medicamentos antidepressivos. A acupuntura tem inúmeros benefícios, mas a maior vantagem é que ela enxerga e trata o corpo como um todo, proporcionando uma melhora geral e não possui efeitos colaterais, como os remédios” – afirma Gabriela.

A acupuntura estimula terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos, atingindo neurotransmissores responsáveis pelo controle do humor e das emoções. O estímulo das agulhas desencadeia muitos efeitos importantes, como analgésico, anti-inflamatório, relaxante muscular e sobre os sistemas endócrino e imunológico. Laubé conclui: “Ao inserirmos agulhas de acupuntura em pontos específicos do corpo de pacientes que sofrem com a depressão é possível liberar substâncias neuromoduladoras, que normalizam funções motores sensoriais, autonômicas, neuroendócrinas, de controle de expressão emocional, por isso o paciente se sente melhor”.

Esta terapia alternativa é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e quem opta por este tratamento consegue vencer a doença por si próprio. As agulhas são descartáveis e nunca devem ser reutilizadas.

Sobre a profissional:
Formada em fisioterapia pelo Centro Universitário São Camilo com pós-graduação em Acupuntura e Métodos Terapêuticos Chineses para Fisioterapeutas pela Universidade Cidade de São Paulo, Gabriela Laubé tem mais de 8 anos de experiência na área de estética. Em 2016, criou o Espaço Femme Fleur, local dedicado à estética facial e corporal, oferecendo uma nova frente de atenção à saúde e, ao mesmo tempo, proporcionando um momento de relaxamento pessoal. Gabriela Laubé possui uma vasta lista de cursos complementares, sendo eles: Limpeza de Pele 2.0; Pantalaterapia; Consultoria em Estética; Treinamento do Equipamento Dermotonus Esthetic e Slim; Participação e Qualificação Profissional no Workshop do Método Haguihara; Acupuntura na saúde da mulher, Fisioterapia em obstetrícia, Acupuntura estética, Massagem Modeladora com Toalhas Quentes, Quick Massage e Bambuterapia.

Fonte: assessoria de imprensa 
Leia Mais ►

Ácido Hialurônico e Toxina Botulínica: 
você sabe a diferença entre eles? 

Conheça as principais características e indicações dos “queridinhos” 
do ramo de tratamentos dermatológicos 

São Paulo, 29 de maio de 2019 – Consultórios dermatológicos são procurados, cada vez mais, por homens e mulheres que desejam investir em melhorias na pele e atenuar marcas no rosto. Para isso, recorrem a diversos tratamentos modernos que trazem resultados visíveis e naturais. Dentro dessa variedade de inovações técnicas, procedimentos com ácido hialurônico e com toxina botulínica são os mais recomendados, apesar de serem bem diferentes.

Produto biológico da bactéria Clostridium botulinum, a toxina botulínica é uma neurotoxina que age como barreira entre os estímulos dos neurônios e os músculos da face, atuando como um paralisante muscular. Dessa forma, o produto é recomendado para rugas dinâmicas do rosto – ou seja, que se tornam mais aparentes diante movimentação facial.

Já o ácido hialurônico é uma substância natural da pele responsável por sua hidratação e elasticidade. Quando injetado na pele, o polímero preenche o espaço existente entre as células, possuindo também a capacidade de volumizar. Com o avanço da idade, o organismo reduz a produção natural de ácido hialurônico na pele que, consequentemente, perde sua firmeza e volume natural. Por isso, tratamentos com ácido hialurônico são indicados para devolver o aspecto jovem e saudável da pele. Um dos preenchedores de ácido hialurônico mais conhecidos do mercado, Restylane®, repõe o volume perdido ao longo dos anos de forma natural. O procedimento reduz sulcos conhecidos como “bigode chinês” e “linhas de marionete”, destaca as maçãs do rosto e também tem o poder de atenuar rugas.

O tratamento com Restylane® consiste em aplicações pouco invasivas que trazem resultados visíveis desde a primeira sessão. Enquanto os procedimentos com toxina botulínica trazem efeitos com duração de 4 a 5 meses, os resultados de Restylane® continuam visíveis mesmo após 18 meses. Restylane® pode ser aplicado em três regiões da face: terço superior, terço inferior e terço médio. O produto está no mercado há mais de 20 anos e já foi atingiu a marca de 40 milhões de tratamentos pelo mundo.

É importante ressaltar que ambos os tratamentos dermatológicos devem ser realizados por médicos especializados e pensados de acordo com as características de cada indivíduo.  

Sobre a Galderma


Presente em 100 países desde a sua fundação, em 1961 até o presente momento, a Galderma conta com um extenso portfólio dedicado ao tratamento de uma variedade de condições dermatológicas. A empresa se dedica também a promover parcerias com profissionais conceituados ao redor do mundo com o objetivo de atender as necessidades de médicos e pacientes durante todas as fases de suas vidas. A. Galderma é líder em pesquisa e desenvolvimento de soluções cientificamente definidas e medicamente comprovadas para a pele, cabelos e unhas. 

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Festa Junina do Clube Esperia

O evento acontecerá nos dias 29 e 30 de junho, com diversas atrações musicais,
 brincadeiras e comidas típicas


A Festa Junina do Clube Esperia, uma dais mais tradicionais da cidade, já tem data marcada. Este ano acontecerá nos dias 29 e 30 de junho (sábado e domingo) com atrações musicais ao vivo, comidas e guloseimas típicas, além de barracas de brincadeiras e espaço kids.

Com atrações para todas as idades, o arraial do Esperia acontece desde 1928, e faz parte do calendário junino da cidade. Para agitar a galera, o trio Beijo de Moça se apresentará com músicas autorais e clássicos de compositores brasileiros, homenageando a cultura nordestina. Outras presenças confirmadas são a do cantor Haniel e da dupla Matheus Minas e Leandro, que irão surpreender os fãs de música sertaneja, e da banda Mont Serrat.

Para repor as energias, os convidados terão à disposição uma praça de alimentação repletas de barraquinhas tradicionais com bebidas e quitutes típicos. Já a criançada vai se esbaldar no espaço kids e nas barracas de brincadeiras. Os visitantes também poderão conferir um Bazar Beneficente Junino com muitas prendas à venda,

“O aguardado e tradicional arraial do Esperia é um dos eventos preferidos tanto pelos associados, quanto por quem não frequenta o Clube. É uma festa para toda a família, com música ao vivo, muitas opções de comidas típicas e tudo que não pode faltar em uma festa junina. Estamos preparando tudo com muito carinho”, comenta o vice-presidente social do clube, Vanderlei Nicoletti.

Os ingressos estão à venda na secretaria e no site do Esperia.

Informações:
Festa junina do Clube Esperia  

Data: 29 e 30 de junho (sábado e domingo)

Horário: 29/06 a partir das 18h e 30/06 a partir das 12h

Valor*: associados (não pagam) / não associados R$ 20 (antecipado) R$ 30 (na porta)

Ingressos online: https://clubeesperia.com.br/evento/festa-junina/

Local: praça das seringueiras e alamedas do Clube

Endereço: Av. Santos Dumont, 1313 – Santana

Telefone: 2223-3300

*Crianças pagantes a partir dos 10 anos

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►


Barbie lança boneca jogadora de futebol

Em comemoração ao aniversário de 60 anos da Barbie e em clima dos jogos do futebol feminino, a boneca mais famosa do mundo se transforma em jogadora de futebol em sua linha Barbie Você Pode Ser Tudo o Que Quiser.

Barbie já teve mais de 200 profissões ao longo de sua história e a boneca continua inspirando meninas a serem tudo o que quiserem desde 1959. As novas bonecas da linha homenageiam também outras cinco profissões, além da jogadora de futebol, como bombeira, astronauta, jornalista, pilota e candidata. As novas bonecas são uma extensão do compromisso de Barbie em oferecer mais opções para as meninas.

Com diferentes tipos de corpos, tons de pele, cores de olhos e penteados, as bonecas proporcionam infinitas possibilidades de contar histórias com muita diversão e momentos inesquecíveis, além de fazer com que todas as meninas se sintam empoderadas e representadas por meio de cada profissão. Sonhar com o que se quer ser é apenas o começo.

As novas bonecas podem ser encontradas em lojas varejistas de todo o Brasil. (Preço sugerido: R$ 79,99)


Sobre a Mattel

Presente no Brasil desde 1988, a Mattel é a líder global em entretenimento infantil, especializada na criação e produção de brinquedos e produtos de consumo inovadores, de qualidade e que geram experiências que inspiram, entretêm e desenvolvem as crianças por meio do brincar. Fazem parte do portfólio da empresa marcas icônicas, incluindo Barbie®, Hot Wheels®, Fisher-Price®, Thomas & Friends® e MEGA®, entre outras, além das que são licenciadas em parceria com empresas globais de entretenimento. Além dos brinquedos, a Mattel disponibiliza conteúdos, jogos, música e atrações. A empresa opera em 40 localidades e comercializa seus produtos em mais de 150 países em parceria com as principais redes de varejo e tecnologia do mundo.  Desde a sua fundação, em 1945, a Mattel tem orgulho de incentivar as crianças a alcançarem todo o seu potencial. Para mais informações acesse www.mattel.com.



Sobre a Barbie® – www.barbie.com.br
Barbie foi criada em 1959 pela americana Ruth Handler, co-fundadora da Mattel, que percebeu que sua filha Bárbara, ou Barbie, como era apelidada, gostava de brincar com bonecas de papel que trocavam de roupa. Até então, todas as bonecas tinham aparência de bebês e a de papel era uma das únicas que tinha a feição mais próxima da de uma adolescente. Quando lançada, a boneca foi definida como a “modelo teenager vestida na última moda”. Hoje, a Barbie é reconhecida como uma das marcas mais fortes de todos os tempos e um ícone fashion mundial. Como toda diva, a partir dos anos 90 estilistas famosos como Christian Dior, Chanel, Versace, Givenchy, Carolina Herrera, Donna Karan, Giorgio Armani e Alexandre Herchcovitch a vestiram em várias ocasiões. Clássicos do cinema, teatro e TV também ganharam bonecas Barbie caracterizadas com seus personagens mais famosos, entre eles: Romeu e Julieta, O Mágico de Oz e Star Trek, além de musas como: Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor, Vivien Leigh e Grace Kelly. Por mais de cinco décadas a boneca tem inspirado garotas de todas as idades a sonhar, “viajar” e descobrir que, brincando, elas podem ser o que quiserem. O estilo de vida da boneca, que já virou personalidade, sempre fez com que ela fosse popular entre crianças e adultos. Em 60 anos, ela já teve mais de 200 profissões, todas retratando aspectos da cultura e da sociedade de suas épocas. Alguns exemplos emblemáticos são: Barbie astronauta (1965); Barbie médica cirurgiã (1973); Barbie presidente dos EUA (1992).

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►