Paralisia Cerebral 
 Um Tabu a Ser Quebrado


Por Carina Gonçalves





Duas amigas e algo em comum: paralisia cerebral. Falar sobre este tema, para algumas pessoas, ainda é um tabu ou causa certo desconforto. Porém, para Sylvia Pires, de 34 anos, e Lilai Borba, de 39 anos, não é. Ambas são portadoras desta deficiência, são cadeirantes e cheias de vontade de esclarecer as pessoas sobre como elas levam a vida, apesar de suas dificuldades diárias. Para isso, vão promover, por iniciativa própria e sem fins lucrativos ou qualquer patrocínio, uma palestra gratuita sobre o tema no próximo dia 5 de março, às 17h, no Senzala Restaurante – Praça Panamericana, 41, Alto de Pinheiros, em São Paulo.

Com tema “Paralisia Cerebral – um tabu a ser quebrado”, Sylvia e Lilai pretendem criar oportunidades para bate-papos, esclarecimentos sobre os principais cuidados para a saúde os portadores, rodas de discussões e troca de contatos entre pais e familiares de pessoas em igual situação, além de chamar a atenção de empresas e instituições que possam patrocinar novos encontros. “A cada dia é um desafio a ser vencido”, comenta Sylvia pelo aplicativo WhatsApp, ao qual nos conhecemos e trocamos mensagens. Ela me relatou que a amiga Lilai, assim como ela, tiveram o diagnóstico após o nascimento, quando bebês, decorrentes pela falta de oxigênio no cérebro.

Segundo o site Minha Vida.com “os sinais e sintomas aparecem durante a infância ou pré-escola. Pessoas com paralisia cerebral podem ter dificuldade com a deglutição e geralmente tem um desequilíbrio no músculo do olho. A amplitude de movimento pode ser reduzida em várias articulações do corpo, devido à rigidez muscular. O efeito da paralisia cerebral nas habilidades funcionais varia muito. Algumas pessoas são capazes de caminhar, enquanto outras não são. Algumas pessoas mostram função intelectual normal, ao passo que outras podem apresentar deficiência intelectual. Epilepsia, cegueira ou surdez são condições que podem estar presentes”.

Além de limitações físicas, Sylvia possui comprometimento na fala e Lilai na visão, o que não as impedem de buscar por seus sonhos e objetivos de vida.  Elas gostariam de contribuir mais com a sociedade e com outras pessoas que vivenciam histórias semelhantes às delas. “Infelizmente não possuímos recursos para realizarmos mais palestras. Adoraríamos ter apoio de empresas e de pessoas com doações e patrocínio para novos encontros”, finaliza Sylvia.

Interessados em patrocinar e ou contratar palestrar podem falar via WhatsApp com Sylvia pelo telefone: 11-96889-6894

Para saber mais sobre as deficiências provocadas pela paralisia cerebral, acesse o site: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/paralisia-cerebral

Serviço:
Palestra gratuita:
Data: 05/03/2016
Horário: 17h
Local: Senzala Restaurante – Praça Panamericana, 41, Alto de Pinheiros - SP.
Palestrantes: Sylvia Pires, de 34 anos, e Lilai Borba, de 39 anos.



Texto e divulgação: Carina Gonçalves
Informação Escrita / JCG Comunicação e MKT

Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820