No Inverno, atividade física pode reduzir 
as dores da fibromialgia

Doença crônica que causa dores em todo o corpo pode se intensificar com a chegada do Inverno

Quem sofre de fibromialgia, dor musculoesquelética, já está habituado a responder à pergunta: "Onde dói?". Assim como os médicos já sabem a resposta: "Dói tudo, doutor!". Com a chegada da estação mais fria do ano - o Inverno - as dores, em geral nos tendões e articulações, podem ficar mais acentuadas. Por isso, a importância de, entre outras precauções, dar atenção especial para a prática de atividade física.

É o que sugere a fisioterapeuta Mariana Schamas. Para ela, “A combinação entre a umidade e o frio pode piorar as dores pelo corpo com a chegada do Inverno, já que passamos por ajustes fisiológicos que nos deixam mais sensíveis”.

Segundo a Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED), a fibromialgia é uma dor muscular crônica que pode atingir diversas partes do corpo. Trata-se de uma patologia que aumenta a sensibilidade dos nervos, levando ao cérebro mais informação de dor do que o normal.

Não há uma causa específica para a doença, no entanto, pessoas ansiosas, assim como estresse e desequilíbrios hormonais, podem ser fatores de risco. No Brasil, ela está presente em cerca de 3% da população e acomete mais mulheres do que homens e costuma aparecer entre os 30 e 55 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.

Comportamento

Estima-se que cerca de 60 milhões de pessoas sofram com problemas de dor crônica no país. Embora ainda não tenha a cura para a fibromialgia, há muitas maneiras de atenuar seus efeitos. Especialistas ressaltam que para isso é necessário que medicina e paciente trabalhem juntos no combate da dor. Procurar o médico o quanto antes pode ser decisivo para definir e cuidar do quadro clínico. Para combater os sintomas, o paciente pode tomar medicamentos prescritos pelo profissional da saúde, como analgésicos, relaxantes musculares, anti-inflamatórios e antidepressivos.

A fisioterapia, a prática regular de exercícios/preparo físico, métodos para alívio de estresse (como massagem e técnicas de relaxamento) são, também, indispensáveis no combate à fibromialgia.

Para a fisioterapeuta, “além dos muitos benefícios à saúde, a atividade física é reconhecida como um método não medicamentoso de grande impacto na melhora da dor, do humor e da qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia”. É importante, no entanto, ressaltar que esses exercícios devem ser orientados por um profissional qualificado. Os pacientes devem estar atentos também à qualidade do sono, eliminando tudo o que possa perturbá-lo como luz, ruídos, colchão impróprio e temperatura desagradável.

Como saber

Assim como o tratamento, para detectar os sintomas da doença é necessário o diálogo contínuo entre paciente e o seu médico, já que a Fibromialgia pode ser confundida com outras patologias. O principal sintoma é a dor e ela pode ser leve ou intensa em pontos de sensibilidade como a nuca, o tórax, os cotovelos, os joelhos, a região lombar, os quadris e as canelas.

Em geral, as dores aparecem ao acordar, aliviam durante o dia e voltam a atacar a noite. Pessoas que estejam passando por constantes períodos de estresse, ansiedade e sofrem de depressão, devem ficar em alerta se observarem a combinação desses sintomas. Os especialistas ressaltam ainda, a dor de cabeça, a fadiga e os distúrbios do sono como fatores determinantes para o diagnóstico.

Campanha

Desde 2009, a campanha “Pare a Dor” trabalha no combate e na conscientização da população e de profissionais da saúde para os altos índices de pessoas que sofrem com algum tipo de dor. De acordo com a SBED – Sociedade Brasileira para Estudo da Dor, 40% da população tem algum tipo de dor crônica.

Ações como a “Caminhada Pare a Dor”, cujo objetivo é estimular a prática da atividade física supervisionada e orientar sobre a melhor forma de ajudar no tratamento, acontecem mensalmente em várias cidades do país. Em São Paulo, a caminhada já faz parte da rotina da sociedade e reúne duas vezes por semana pessoas que convivem com a dor.

O evento, gratuito, é uma parceria entre a SBED e a Zodiac Produtos Farmacêuticos e acontece todas as quintas-feiras e sábados no Parque do Ibirapuera, às 8h20. Para mais informações sobre a campanha em outras cidades acompanhe o calendário no site http://www.pareador.com.br/.

Fontes Médicas para Entrevistas:


  • Mariana Schamas, fisioterapeuta com especialização em nutrição e exercícios
  • Dra. Fabiola Minson, anestesiologista, área de atuação em Dor AMB (Associação Médica Brasileira) e Coordenadora do Centro Integrado de Tratamento de Dor São Paulo- SP

Local: Parque do Ibirapuera, Av. República do Líbano, Portão 7

Data: Todas às quintas-feiras e sábados
Horário: às 8h30

*Para entrevistas ou coberturas de imprensa às caminhadas, entre em contato com a MAPA Comunicação, com Pedro Carnachioni no (11) 2507-6865 ou (11) 5096-3137.

SERVIÇO:

Caminhada Pare a Dor

Agenda de Julho:
Quinta-feira: 3, 10, 17, 24, e 31 de julho.

Sábado: 5, 12, 19 e 26 de julho.

Fonte: Mapa Comunicação

Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820