‘O DUELO’ DE TCHÉKHOV 

Com patrocínio da Caixa, a peça estreia na CCSP com Camila Pitanga e grande elenco



A estreia do espetáculo ‘O Duelo’, da mundana companhia, na cidade de São Paulo é no dia 11 de outubro e acontece no Centro Cultural São Paulo até 15 de dezembro de 2013, sempre de quinta a domingo, às 19h30. No elenco estão: Aury Porto, Camila Pitanga, Pascoal da Conceição, Sergio Siviero, Carol Badra, Vanderlei Bernardino, Fredy Allan, Guilherme Calzavara e Otávio Ortega. O espetáculo chega aos palcos da capital paulista a preços populares: R$20 (inteira) e R$10,00 (meia). O projeto foi idealizado por Aury Porto, que divide a produção com Camila Pitanga e Bia Fonseca e direção de Georgette Fadel.

Esta é a quarta encenação da mundana companhia a partir de um autor russo e encerra, assim, a tetralogia que se iniciou com O Idiota, de Fiódor Dostoiévski. Trata-se de uma adaptação para o teatro da novela homônima do escritor russo Anton Tchekhov (1860-1904), consagrado contista, dramaturgo e novelista. O texto é de 1891. A história, inquietante e surpreendente, acontece sob o calor quase alucinógeno do litoral do lendário Mar Negro. Ali surge a tensão entre os dois duelantes: um, a típica caricatura do herói romântico russo sem caráter, o outro, a também típica caricatura do porvir trágico da humanidade: um darwinista social de plantão. Vemos a luta das duas visões de mundo antagônicas numa sociedade periférica, espelho distorcido das metrópoles russas e europeias.

A peça teve sua construção iniciada em São Paulo, ao longo dos meses de abril e maio, quando aconteceram os workshops e quatro palestras abertas ao público, intituladas “Aulas Tchekhov”. E retorna encenada à cidade depois de uma imersão no Ceará, onde se desenvolveu a maior parte do processo da montagem. No início de junho a equipe desembarcou no sertão do Ceará, mais especificamente na região dos Inhamuns (Arneiroz), depois foi para o sertão centro-sul (Lavras da Magabeira) e depois para o Vale do Jaguaribe (Iracema), residindo durante duas semanas em cada cidade, entre ensaios e oficinas com a participação dos moradores.

“Desde a primeira leitura dessa novela fiquei interessado na forma inusitada e irônica de como a situação duelar, tão característica da sociedade humana, é superada. E o que me fez idealizar este projeto foi a possiblidade de superação do duelo, no qual necessariamente um homem tem que exterminar o outro. Essa história nos mostra que podemos superar o duelo em nome da vida”, diz Aury Porto. O patrocínio é da Caixa Econômica Federal, via Lei Rouanet.

Antes de chegar a São Paulo, a peça foi apresentada em Fortaleza (estreia nacional no dia 02 de agosto), no Parque Nacional da Serra da Capivara - Piauí, em João Pessoa, em Brasília e em Belo Horizonte.

Conheça a mundana companhia
Desde o ano 2000, inspirados pela militância política dos artistas de teatro da cidade de São Paulo junto ao movimento “Arte contra a Barbárie”, Aury Porto e Luah Guimarãez desejavam criar um núcleo artístico formado essencialmente por atores-produtores. A partir daí, um diretor, com afinidades afetivas e estéticas com os membros da companhia, seria convidado a participar. O mesmo ocorreria com os profissionais das outras áreas, como cenografia, figurino, música, luz, e até mesmo outros atores: a cada projeto, a companhia teria um novo corpo, como que para dar vazão às ideias de continuidade e transitoriedade. Esse é o pensamento que caracteriza a mundana companhia. Essa companhia, de encontros conscientemente transitórios, recebe o adjetivo antes do substantivo e tem seu nome integralmente grafado com letras minúsculas. Esboça-se assim, um projeto em constante construção provocada por diversas mentes e mãos, num processo que poderíamos chamar de “fátria” em dissonância com a supremacia do ideário de pátria tão caro à maioria das sociedades do século XX.
Essas especificidades nas relações internas refletem-se nas relações com os espectadores e, obviamente, nos temas a serem investigados a cada novo projeto. Apesar de elaborado desde a virada do século, o primeiro trabalho deste núcleo artístico só foi realizado muitos anos depois.

Ficha Técnica:
Autor: Anton Tchékhov
Tradução: Klara Guriánova
Adaptação: Vadim Nikitin e Aury Porto
Colaboração na adaptação: Camila Pitanga
Elenco: Aury Porto, Camila Pitanga, Carol Badra, Fredy Allan, Guilherme Calzzavara, Otávio Ortega, Sergio Siviero, Pascoal da Conceição e Vanderlei Bernardino
Direção: Georgette Fadel
Direção Musical: Otávio Ortega e Lucas Santtana
Direção de Arte / Cenografia: Laura Vinci
Diretor Técnico: Leo Porto Carrero
Direção de Cena: Rafael Matede
Produção: Aury Porto e Camila Pitanga
Direção de Produção: Bia Fonseca e Aury Porto
Produção Executiva (São Paulo): Elisete Jeremias
Fotos: Renato Mangolin
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Serviço:
Espetáculo ‘O Duelo’
Local: Centro Cultural São Paulo
Endereço: Rua Vergueiro, 1000
Datas: de 11 de outubro a 03 de novembro e de 21 de novembro a 15 de dezembro de 2013 (sempre de quinta-feira a domingo)
Horário do espetáculo: 19h30
Horário da bilheteria: de quinta a domingo, das 17h30 até 21h
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia)
Classificação indicativa: 12 anos

Mais informações:


Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820