Saiba tudo sobre a doença de Bornholm – Mialgia Epidêmica

Doença de Bornholm – Mialgia Epidêmica

As dores musculares na parte superior do peito e das costas,
características da doença, são provocadas por infecção viral



Por Dra. Priscila Zanotti Stagliorio

Conhecida também como mialgia epidêmica, a doença de Bornholm é uma infecção viral que afeta a região do peito e das costas, às vezes, também o revestimento dos pulmões, provoca dores musculares intensas e sensação de aperto na parte superior do abdômen e do tórax inferior, tanto que no dito popular é chamada de o “abraço do diabo”. Sua causa se dá por um grupo de vírus chamado enterovírus (que inclui também ecoviroses, poliomielite, e vírus da hepatite A), principalmente o Coxsackie B. Embora seja uma enfermidade considerada de baixa gravidade, para algumas pessoas e bebês pode evoluir para um quadro que requer mais atenção médica.

Entenda o que é a doença:
Os primeiros casos registrados da doença aconteceram na ilha dinamarquesa de Bornholm na década de 70 e, por isso, recebeu o nome homônimo. Como se trata de um diagnóstico viral, o tratamento não pode ser feito com antibióticos, apenas com medicamentos para aliviar os sintomas e minimizar os espasmos que tendem a durar por até uma semana e raramente complica-se gravemente, mas é necessário o atendimento médico para o diagnóstico correto.

Fonte imagem: Jornal A Tarde - Bahia

Sintomas:
A enfermidade provoca dores intensas na parte superior do abdômen e do tórax inferior, além da região cervical e do trapézio com início súbito. Dor abdominal, febre, dor de garganta, dores intensas nos braços, dorso, coxas e panturrilhas sem causa aparente também foram associadas a doença. A cada movimento e ou respiração profunda, o paciente pode sentir falta de ar (mas sem comprometimento respiratório). A urina também pode apresentar alterações, apresentando cor mais intensa ou escura – neste caso, além da hidratação é importante recorrer ao atendimento médico o mais breve possível para evitar insuficiência renal.

 Quem pode pegar a doença:
Não existe faixa etária especifica para o contágio da doença. Ela é comum em crianças, especialmente por ser de trato viral, mas na maioria dos casos não evolui com gravidade e ou não apresenta nenhum sintoma. Em bebês, especialmente os recém-nascidos, é fundamental o diagnóstico precoce para evitar males maiores, pois seu sistema imunológico ainda não está totalmente formado e pode evoluir para uma nova e perigosa doença. Em adultos, pode ocorrer da mesma maneira como em crianças.

Transmissão:
A transmissão ocorre por meio fecal-oral e de pessoa para pessoa por meio de gotículas ou objetos contaminados. Manter as mãos e objetos sempre limpos é uma dica recorrente para evitar essa e muitas outras doenças. Principalmente para as crianças, é fundamental ensiná-las desde cedo que devem lavar as mãos antes e após o uso de banheiros e ou peniquinhos, além de manter este hábito ao longo do dia, antes das refeições e evitar colocar os dedos e ou objetos sujos na boca.

Tratamento:
Nunca se automedique ou medique seu filho sem orientação médica, isso é relevante para a cura de qualquer doença. Lembre-se que todo remédio possui efeito colateral e ou pode provocar alergia por algum princípio ativo. Após o recadinho, entre os cuidados e recomendações médicas, o tratamento inclui hidratação intensa entre o segundo e terceiro dia após o início dos sintomas, além da administração de analgésicos (com indicação clínica) e aquecimento na região dos músculos afetados para aliviar as dores e espasmos que duram cerca de 15 a 30 minutos. Não é indicado o uso de anti-inflamatórios e ácido acetil salicílico (AAS). Ao menor sinal da doença procure um médico para que ele possa, caso necessário, solicitar exames laboratoriais que identifiquem o melhor tratamento.


Outros textos interessantes para ler:

- Saiba mais sobre a vacinação contra a dengue:

- Saiba tudo sobre o Rotavírus:

- Febre – Mitos e Verdades:

- Meningite:

- Síndrome Pé-Mão-Boca:

- Uso de Repelentes Infantis:

- Quedas Infantis - O perigo mais próximo do que se imagina:

- Engasgo Infantil – primeiros socorros:

- Férias x Cuidados

Quer receber dicas de saúde e bem-estar?
Então cadastre-se no nosso site (http://pediatraonlinedicasdepediatraemae.blogspot.com.br)  e curta a nossa página no Facebook – Pediatra On line - @dicasdepediatraemae

Sobre Dra. Priscila Zanotti Stagliorio
É médica pediatra há mais de dez anos, atua na zona norte de São Paulo, em consultório particular, no Pronto Socorro do Hospital São Camilo – unidade Santana, e na rede Dr. Consulta – unidades Tucuruvi e Santana. Em seu currículo possui diversas participações em congressos, cursos de especialização e atuações em prontos socorros, clinicas e ambulatórios médicos da grande São Paulo – Capital. Oferece curso personalizado para gestantes e mamães com recém-nascidos, com o objetivo de ajudá-las na mais importante missão de suas vidas: ser mãe. Para solicitar informações sobre os cursos escreva para:  priscilazs@yahoo.com.br / dicasdepediatraemae@gmail.com / contato@jcgcomunicacao.com - coloque no assunto a informação que deseja saber e ou solicitar. O consultório está localizado na Av. Leôncio de Magalhães, 395, Santana- SP / 11- 2977-8697.

Colaboração textual:
Agência Informação Escrita / Agência JCG Comunicação e MKT
Jornalista Carina Gonçalves
11-4113-6820 / contato@jcgcomunicacao.com

Receba nosso News Letter

Anuncie aqui

Saiba mais: 11-4113-6820